Violação dos Direitos Humanos: Brasileiras prostitutas na Espanha

Prostituição brasileira na Espanha: Suspeita de violação dos direitos humanos.

O portal UOL divulgou matéria denunciando que as brasileiras lideram o “ranking” de prostituição nas Ilhas Espanholas.

Suspeita de violação de direitos humanos.

Os brasileiros esperam que o Governo Federal reprima as máfias que levam jovens para forma do país.

Serviço:

Na Capital existe a Comissão Municipal de Direitos Humanos presidida pelo Min. JOSE GREGORI. Lá o leitor poderá ter todas as informações acerca da defesa dos Direitos Humanos na Cidade e no Mundo! http://portal.prefeitura.sp.gov.br/cidadania/cmdh

Leia reportagem completa!

As prostitutas brasileiras estão dominando o mercado de alto luxo nas ilhas mais exclusivas da Espanha, segundo as conclusões de um congresso governamental divulgadas no domingo.De acordo com os participantes do evento, oito entre dez mulheres que exercem a prostituição no arquipélago mediterrâneo de Baleares (que inclui Palma de Mallorca, Ibiza, Menorca e Formentera) são brasileiras.
As autoridades estimam que a prostituição movimenta por ano mais de 300 milhões de euros (cerca de R$ 760 milhões) apenas nas ilhas da região.
O diretor do Congresso sobre Prostituição e Direitos Humanos do governo balear, pedagogo da Universidade de Mallorca, Jaume Perelló, disse em nota à imprensa que, desde o ano 2000, os esquemas de prostituição nas ilhas estão mudando.“Primeiro, mudou o perfil da mulher que exerce a prostituição”, disse Perelló.“Das espanholas que estavam na rua, passamos às sul-americanas que agora estão em prostíbulos de nível muito elevado em mansões com bares, piscinas e varandas com vista para o mar, entre outras comodidades, para captar uma clientela seleta e com capacidade econômica.”
De acordo com o informe de conclusões do congresso, só na ilha de Mallorca, a maior e mais cara do arquipélago, com uma das rendas per capita mais altas da Espanha, atuam em torno de 2,5 mil prostitutas, 82% brasileiras.
O restante se divide entre colombianas, dominicanas, européias do leste e africanas. Estas últimas trabalham apenas nas ruas.

“Não podemos esquecer que esse fluxo é originado pela situação sócio-econômica dos países de origem dessas mulheres”, afirmou Perelló.

Máfias
O informe diz que a chegada em massa de brasileiras às Ilhas Baleares, principalmente a Mallorca e Ibiza, tem ocorrido porque as máfias encontraram um mercado por explorar.

“As brasileiras se destacam por suas características físicas e personalidade”, afirma o relatório. “Estão chegando aos prostíbulos de luxo para atender a uma demanda de certo tipo de clientes.”

“As africanas (da Nigéria e Serra Leoa) atuam nas ruas porque as máfias que as controlam são muito agressivas e expulsaram outras mulheres que ocupavam aquele espaço.”

“Algumas do Leste Europeu, embora em menor proporção, também passam pela mesma situação de exploração nas ruas”, acrescenta o documento. “Mas a maioria está em prostíbulos.”

Esses prostíbulos, no caso das ilhas espanholas, são mansões – muitas de alto luxo, servidas de todo tipo de atenção cinco estrelas para a “clientela vip”.

O informe de conclusões do congresso chega a definir como “espetacular” as novas formas de serviços e captação da prostituição na região.

Contato
Uma das novidades, segundo o relatório, está na forma de contato com os clientes. Por meio de um site, por exemplo, é possível contratar o serviço de prostitutas desde qualquer parte do mundo e marcar dia, hora, lugar, tipo de mulher e quaisquer detalhes de atenção de luxo.

O site apresenta desde as características da prostituta e do ambiente onde o cliente pode receber o serviço até tipos de bebida, alimentos, carros e objetos de fetiche.

O informe indica ainda que as máfias exigem que a maioria das prostitutas tenha de se mudar de prostíbulo constantemente. “Às vezes, exercem (a prostituição) em vários locais em um mesmo dia”, diz o relatório.

Nos casos de prostíbulos menos luxuosos, a clientela quer mais conversa e menos sexo, segundo as conclusões do congresso.

“É fácil encontrar casos de homens cuja única intenção é se desinibir com elas (prostitutas), contar suas vidas e seus problemas”, diz o informe. “E quando se sentem bem, vão embora.” Nesta situação estão dois de cada seis clientes que freqüentam os prostíbulos das Ilhas Baleares por dia, segundo o relatório. A maioria apenas paga bebidas para as mulheres, que recebem porcentagens pelas bebidas consumidas.

O congresso sobre prostituição, que terminou no último dia 18, em Mallorca, concluiu que o mercado do sexo nas ilhas se ressentiu pela saída da frota naval americana e dos grandes contingentes da Marinha espanhola, mas está se recuperando com esse novo perfil de “serviço vip”.

A Associação Nacional de Empresários de Locais de Prostituição reclama das máfias que atuam nas mansões do arquipélago e pede a regularização do trabalho das mulheres porque considera “uma concorrência desleal”, como disse o secretário-geral da instituição, José Luis Roberto, que também participou do congresso.

Segundo as cifras oficiais do Senado espanhol, o negócio da prostituição no país alcança 18 bilhões de euros (cerca de R$ 45 bilhões) por ano

About these ads

5 Responses to “Violação dos Direitos Humanos: Brasileiras prostitutas na Espanha”


  1. 1 Juliana fevereiro 29, 2008 às 4:43 am

    Embora exista tráfico humano e interesse do mercado “especializado” nas meninas brasileiras, a suspeita de violação de direitos humanos é relativa. E se existe esta violação acontece primeiramente no Brasil.A mulher brasileira é socialmente um sêr de segunda categoria, porque ela é à medida do homem brasileiro, e apreciada apenas por suas qualidades físicas. É levada a ser admirada, ficar bonita apenas para satisfazer o homem.
    A competência profissional é considerada, mas apenas em segmentos sociais muitos restritos. A mulher aqui é carente de desenvolvimento social. Por esta razão o Brasil fornece farta “mão de obra” neste setor devido a vários fatores. O primeiro é social: a falta de educação e perspectivas de uma população jovem resultante de altíssimo índice de natalidade. A educação não é só o que se aprende na escola, mas tambem o que se absorve no meio ambiente. O meio ambiente social nas cidades brasileiras é sempre muito pobre do ponto de vista cultural. As meninas de oito/nove anos devido à forte projeção social intensamente veiculada pela mídia, já apresentam comportamentos estereotipados, posturas físicas que observam nas capas de revista, embora
    sejam apenas crianças. É que nascem num universo hedonista, fútil, consumista. Em lugar nenhum do mundo vi meninas assim, crianças preocupadas com o bumbum. Mas aqui, o Juizado de Menores permite que uma criança de 10 anos saia rebolando seminua numa escola de samba no desfile de carnaval, imitando rainha da bateria…
    Acredita-se que muitas destas jovens brasileiras que se prostituem no exterior para ajudar as famílias pobres aqui, por outro lado tenham desejo de melhorar, ver coisas bonitas, até mesmo estudar e ver e fazer coisas impossiveis de encontrar num país como o Brasil.
    Mas no caso, os meios não justificam os fins. E então essa história é um detrimento e uma vergonha para o país.

  2. 2 evany março 2, 2008 às 11:45 am

    -Juliana tem razão.
    A violação de direitos humanos no Brasil é mal disfarçada e violenta.
    O problema ocorre aqui mesmo. A violência aqui é mesmo de origem institucional. Violação de Direitos Humanos é violência.
    Prostituição feminina ou masculina é decorrência da violência falocrática. E isso é coisa de Brasil…

  3. 3 renata março 12, 2008 às 2:55 am

    É..realmente. Eu nao entendo como as pessoas se sujeitam à issso e depois querem ser vistas com bons olhos? Pode ser a profissao mais antiga do mundo, mas convenhamos…estamos mais evoluídos e as brasileiras nao precisam mais prestar esse papel para depois se dizerem vítimas.Muitas sabem o que fazem embora o tráfico exista e deva ser combatido com forca. Por que nao trabalhar como eu fiz? As vezes me pergunto, como eu pude me virar 5 anos morando no exterior sendo pobre e sem precisar me prostituir?Ainda foi possível adquirir meu sítio e minhas coisinhas no Brasil e o melhor , tenho bons amigos do pais onde morei.
    Fico extremamente envergonhada com esse número de prostitutas brasileiras…e é por isso que todos nós pagamos uma única conta, a do preconceito.
    Sinceramente,como a maioria delas pode vender o corpo mais de 150 vezes ao mês?Até meninas de estudo e tudo mais?
    Vergonhoso, isso deve ter um fim!

  4. 4 rosa bertioga julho 12, 2008 às 7:59 pm

    Vivi na Suica por 6 anos e nos ‘brasileiras somos muito mal vistas em qualquer parte do Mundo, porque o Brasil e’ conhecido como o maior exportador de prostitutas do mundo.
    Somos consideradas inferiores na Suica, porque dizem que ha mais de 100 anos chegam prostitutas de toda parte do brasil. Agora a moda la sao as Russas ou da uropa do Leste [romenia, bulgaras, tchecas, polonesas, slovaquias, etc]
    Agora, vivo ha 8 anos nos EUA, sou bAILARINA e todos os clubes que trabalho, tem uma pilha de brasileiras que nao quer saber de dancar, quer o dinheiro facil, ou seja, levar o cliente para o hotel. Desculpm todos, mas eu me envergonho de ser brasileira. Aqui, ganho mais dinheiro que elas, unicamente cuido melhor do corpo. Normalmente, as mulhres que viajam com mafias para Espanha ou outros lugares, dizem ser enganadas. E’ mentira. Sao pessoas qu estao disposta a tudo pra mudar de vida [mediocre e sem perspectiva, infelizmente que passamos ai no Brasil] .A leitora acima disse a verdade. O fator fisico pesa muito, o de idade tambem. pessoas como eu , 43 anos no Brasil e’ considerado avo’. Que lastima, ninguem ve o interior, a bagagem de conhecimentos que um carrega dentro de si. So que as coisas mudam, e’ so ter paciencia.


  1. 1 Prostituição brasileira na Espanha: Suspeita de violação dos direitos humanos. « In Blog - Insight Publicidade - Agência de propaganda, marketing e planejamento estratégico Trackback em fevereiro 28, 2008 às 9:00 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Acesse nosso site

Estatísticas

  • 137,082 visitantes

Visitantes Online

web counter

Apoio

RSS Naquela Mesa – Crônicas, MPB e Bossa Nova

  • Façamos
    Sábado de manhã, toca o interfone. — Dona Fátima,  tem uma encomenda aqui para a senhora. — disse o porteiro da escala do final de semana. — Encomenda? De quem é? — Não sei, o motoboy acabou de sair daqui. Deixou uma caixa de papelão e parece ter algo leve dentro. — Vou descer para pegar. Obrigada, Jorge. A curiosidade de Fátima a fez apertar os botões dos d […]
  • Haiti
    Ele não acordou num bom dia. “Que se foda essa porra toda”, pensou antes mesmo de abrir os olhos. Cansado de tudo e de todos, começou o seu plano para mudar o mundo. Não o mundo todo, só o mundo que ele conhecia. O que era muito diferente daquele que ele via na televisão, onde as pessoas tinham uma família bacana, comiam carne todo dia, moravam em casas ampl […]
  • Sob medida
    Casaram-se em uma cerimônia discreta, mas com muita alegria. Jussara e Amilton ainda  seguiram o protocolo da orientação religiosa que tinham e chegaram a noite de núpcias sem qualquer tipo de experiência sexual anterior, coisa rara nos dias de hoje. Haviam se conhecido há alguns anos na igreja evangélica que frequentavam, ali próximo aos trilhos da Mooca, b […]
  • Não existe pecado ao sul do Equador
    Eram colegas de faculdade, Anderson e Viviane, há cerca de três anos. Estudavam no mesmo campus, porém em turmas diferentes. O rapaz estava no final do curso de direito, sua segunda faculdade, logo após ter se formado em administração. Já a moça tinha na cadeira de marketing a sua primeira diplomação. Conheceram-se em uma daquelas festas para arrecadar recur […]
  • Deus lhe pague
    Valmir havia ficado viúvo há pouco tempo, teve a infelicidade de perder a batalha contra o câncer de sua esposa. Um tipo raro que levou anos para levá-la e que o fez adoecer junto ao viver entre idas e vindas de hospitais. Como era distante da família e não teve filhos, acabou tomando todos os cuidados ele mesmo. Ao menos, recursos não lhe faltaram. Era advo […]
  • A novidade
    — Você pode segurar a porta, por favor? — perguntou Maria Alice para um distinto senhor que já estava dentro do elevador. Atendendo ao pedido sem titubear, Adamastor pediu licença à sua acompanhante e fez a gentileza, aguardando casal que estava chegando. Ainda na porta perguntou: — Vocês vão para qual andar? — O da cobertura. — respondeu o marido. — Nós tam […]
  • Cotidiano
    O final da novela das nove era a deixa para a televisão do quarto ser desligada. Depois era cada um para o seu lado. Odete ligava o notebook enquanto Carlos Alberto tinha um pequeno tempo para ler. — Carlos Alberto! — disse Odete em um tom elevado, assustando o marido. — O que foi? — Quem é essa piranha que está curtindo as suas coisas no Facebook? O marido, […]
  • Mas, afinal, o que é o Natal?
    Responder o que é o Natal parece muito simples, qualquer criança sabe que é o dia em que se ganha presente dos parentes e até de desconhecidos, tendo também a ver com um negócio de montar um tal de presépio — brincadeira bacana que reúne bichinhos, pessoas e um bebê — encher o bucho de comida e esperar até a manhã seguinte para abrir os pacotes que um velhin […]
  • Evidências
    Habitualmente Dario levanta as sete da manhã para ir trabalhar, como era domingo e a noite tinha sido longa pensou em dormir até tarde. Mas só pensou. O relógio biológico dele tinha um pequeno problema: não importava a hora que ele iria dormir, sempre o levantava por volta do mesmo horário, assim como um galo de granja que levanta quando o sol nasce. Levanta […]
  • Velha roupa colorida
    Ao chegar em casa e encontrar as luzes apagadas, Henrique percebeu que, mais uma vez, teria pizza para jantar. Em um ano de casado pôde contar nos dedos quantas vezes teve algo diferente para comer. Chegou a uma conclusão óbvia: teria que conversar com Aline e resolver de vez aquela questão. Enquanto aguardava a sua chegada ligou o computador e antecipou par […]

RSS Pérolas Políticas

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: